O velho louco que removeu as montanhas

Estou lendo “Fábulas Chinesas”, da Editora L&PM e gostei bastante da primeira fábula que li e quero compartilhar com vocês, reflete o que fazemos e o que nossos antepassados fizeram por nós… Segue abaixo.

Perto das montanhas Taihang e Wangwu, vivia um velho de 90 anos que todo mundo achava louco. Ele acordou um dia e disse que iria remover as montanhas da frente de sua aldeia e levá-las para outro lugar. Ninguém acreditou. Por que ele queria mudar as montanhas de lugar? Ninguém soube responder.

Naquela noite todos foram dormir tranqüilos. No dia seguinte, pensaram, o velho já teria esquecido tudo. Continuaria a dar bom-dia para as montanhas, como sempre fazia.

Não foi bem o que aconteceu. Ele acordou bem cedo no dia seguinte, pediu licença às montanhas e disse que iria mudá-las de lugar, para abrir um caminho até Hanying, onde os agricultores iam vender seus produtos no mercado.

As pessoas perceberam quando ele começou a encher um cesto com pedras e passou pelo caminho com o cesto nas costas.

Sua mulher perguntou:

– Onde vai jogar a montanha?

– Vou jogar no Mar Bohai.

Logo seu filho e seu neto foram trabalhar com ele. Juntos quebravam as pedras, tiravam terra, enchiam com ela os cestos e iam jogá-la no mar Bohai. O vizinho dele, chamado Jingcheng, deixou o seu filho de sete anos ajudá-los. O menino gostou tanto que nem viu passar o tempo, do inverno ao verão.

Mesmo algumas pessoas que não acreditavam que fosse possível tirar as montanhas do lugar se dispuseram a ajudar o velho louco. Primeiro sua mulher e seus outros filhos. Depois os vizinhos e os vizinhos de seus vizinhos. Mais tarde acharam, sim, que a montanha tinha de dar passagem para o caminho até Hanying.

Um sábio que vivia na curva do rio tentou dissuadi-los daquela loucura:

– Deixa de ser doido. Um homem velho e fraco como você, incapaz de carregar um saco de areia, vai remover duas montanhas e mudá-las de lugar?

O velho deu um suspiro. Olhou para a montanha, olhou para o mar Bohai, lá longe, como se calculasse quanto tempo faltava para terminar o trabalho e disse:

– Se eu morrer, eu deixo o meu filho e o filho do meu filho, o filho do meu neto, o filho do filho do meu neto. Já as montanhas não crescem mais nem aumentam de tamanho. Por isso eu vou continuar meu trabalho.

O sábio da curva do rio não soube o que responder.

Observações: (1) Dizem que essas duas montanhas estavam no Sul do país. Hoje, uma estaria em Qinghai e a outra, na periferia de Pequim; (2) Mao Tse Tung tinha uma predileção especial por essa fábula. Para ele, as duas montanhas eram os japoneses e Chiang Kai Shek. Os japoneses foram removidos da China em 1945 e Chiang Kai Shek em 1949.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s